sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Famosos Homossexuais : Chris Colfer

Oi gente aqui é a@marinabrum_  e o @IAmUnicorn_ e a gente vai começar hoje um "especial" , iremos escolher um famoso homossexual todo sábado e iremos estar postando sobre a vida dele, as conquistas, para deixar claro que ser gay ou lésbica não impede ninguém que chegar ao topo, de seguir seus objetivos e conquistar o que quer, espero que gostem ! 

Chris Colfer  - Kurt Hummel em Glee
Nascido em Fresno, na Califórnia, e criado perto de Clovis, Christopher Paul Colfer rapidamente deixa claro que ele não é o seu personagem. Apesar de tanto Cris quanto Kurt terem crescido com uma paixão por atuar ( e os dois sofrerem socialmente por causa disso), na verdade Chris gostaria que sua experiência no ensino médio tivesse sido mais parecida com a de Kurt. “Pegavam muito no meu pé na escola, e definitivamente eu estava no fim da cadeia alimentar: totalmente injustiçado socialmente, um verdadeiro gleek”, disse ele à The Advocate. “Eu nunca fui como o Kurt; agora que eu assisto ao programa, gostaria de ter sido, mas eu nunca estive na moda.Eu gostaria de ter sido como o Kurt na escola!”
Não que o Chris tenha se afastado da controvérsia na sua adolescência. No seu último ano do ensino superior, ele escreveu  o roteiro, estrelou e dirigiu uma paródia de Sweeney Todd chamada Shirley Todd, na qual todos os personagens tinham o sexo trocado. Mas ele se assumiu na escola ? “ Ah, não. As pessoas são assassinadas na minha cidade natal por causa disso.
Chris seguiu seus sonhos de fama com o apoio da família, especialmente da sua mãe, que o acompanhava em viagens de oito horas a Los Angeles para fazer testes. Depois de mais de trinta testes ao longo dos anos, Chris acabou na frente do diretor de elenco de Glee.
Chris achou que a inclusão de Kurt em Glee foi uma atitude importante e corajosa. Ele espera que tanto a história de Kurt quanto a dele ajudem jovens que sejam diferentes, quer sejam homossexuais , quer sejam artistas ou apenas não populares. “ Acho que tendo vindo de uma cidade pequena, e tendo crescido onde cresci, faz com que eu saiba, de modo particular, o tipo de jovens que estou afetando, porque eu fui um desses jovens”, ele explicou ao After Helton. “Eu acho que tanto o meu personagem quanto minha própria história geral de ter vindo direto de uma cidade pequena para essa montanha russa, esse papel em Glee, estejam ajudando os outros.”  




quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Homofobia

 @marinabrum_ aqui de novo e vou explicar o significado do termo homofobia, porque antes que estarmos fazendo nossos posts e falando um pouco mais sobre nossas experiencias seria bom que todos soubessem o que cada termo significa, espero que gostem , beijos da Brum!


Bandeira dos homossexuais
Homofobia é o termo utilizado para nomear qualquer tipo de discriminação e/ou aversão aos homossexuais. No sentido mais profundo da palavra, homofobia ainda significa medo que uma pessoa pode ter de se tornar um homossexual. Dessa forma, pode-se perceber que o termo é um neologismo. 

Existem várias ramificações que justificam a homofobia. Algumas pessoas encaram a homofobia como uma manifestação semelhante ao racismo onde as pessoas se limitam às imposições da sociedade e não são abertas ao novo e outras já vêem a homofobia como um problema do século que contradiz os ensinamentos recebidos pela sociedade, pela família e pela religião. 

Uma pessoa pode até não concordar com a homossexualidade, mas a partir do momento em que um ser humano, independente de sua cor, raça, credo ou sexo, é discriminado por ser homossexual, surge então o ato homofóbico. Atribui-se a ele a injúria, difamação, gestos e mímicas obscenas, antipatia, ironia, sarcasmo, insinuações e qualquer outra forma de criticar e banalizar o homossexual. 

Em relação ao medo de se tornar homossexual muitas pessoas tentam o suicídio, tentam mudar sua orientação sexual, possuem baixa auto-estima, comportamento compulsivo, afastamento da família, busca refúgio em substâncias como álcool, desconfiança, autocrítica entre outras. 

Há uma grande polêmica entre homossexualidade e religião, pois a Bíblia (livro utilizado pelo cristianismo) condena o ato homossexual e isso gera grande revolta nos homossexuais. Ainda existem outros grupos, independentes de religião, que não aceitam os homossexuais e por isso praticam crimes contra os mesmos, chegando até a tirar-lhes a vida.

Homossexualismo


Oi gente aqui é a @marinabrum_ e esse é meu primeiro post e vamos começar a tirar as dúvidas de muita gente, então espero que gostem e façam perguntas é por isso que estamos aqui , beijos da Brum!
O termo homossexual significa “do mesmo sexo”. Pessoas que se interessam sexualmente por indivíduos do mesmo gênero são chamadas de homoeróticas. O termo “homossexual” não é mais adequado nesse contexto, assim como se usar o termo “opção sexual’ também não. Um homoerótico não escolhe ser gay, ele apenas é orientado (pela sua própria existência), a ser o que é. O termo correto é, portanto ”orientação sexual”.
Desde que o mundo é mundo o homoerotismo existe. A diferença é que ele pode ser aceito ou não pelas diversas sociedades. É a cultura que determina sua marginalização ou não.
Na antiguidade a beleza dos corpos masculinos era valorizada entre os homens, que acabavam seduzidos uns pelos outros e se entregavam às paixões homoeróticas de corpo e alma. Assim aconteceu em Esparta, Alexandria, Roma e Atenas (entre outras). Uma peculiaridade da cultura grega da antiguidade é que o interesse entre os homens advinha da valorização da sua capacidade de pensar. Acreditava-se que as mulheres eram inferiores porque não tinham essa capacidade, portanto se destinavam apenas para a reprodução. Em algumas ilhas do pacífico, o primogênito (desde que seja homem) é educado com hábitos femininos (vestimentas, funções e posição social), e orientação sexual homoerótica. É normal e natural que se case com um homem.
Na história da medicina sabe-se que até pouco tempo homoerotismo era classificado como doença. Constava inclusive no código internacional de doenças. Hoje já não mais. A ciência sabe que o homoerotismo não é uma doença e luta para aceitação de sua normalidade.
Os homoeróticos (masculinos ou femininos), são pessoas como qualquer outra que nascem, adoecem e morrem como qualquer um. Nossa sociedade torna suas vidas mais difíceis e dolorosas pelo preconceito.
O processo de descoberta e aceitação da própria sexualidade é muito mais conturbado no gay. Sua sexualidade é primariamente proibida. A aceitação da realidade de seus sentimentos é conflituosa e muitas vezes negada por muito tempo. Todo esse conflito leva ao aparecimento de doenças psíquicas como depressão, ejaculação precoce, disfunção erétil, anejaculação, vaginismo, dispareunia, entre outros.
O importante é saber que a felicidade vem do exercício pleno dos direitos dos indivíduos. Nesses se inclui o pleno exercício da sexualidade seja ela qual for. A aceitação pessoal é o primeiro passo para se conquistar o orgulho de viver.

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Lesbianismo



Oi pessoas aqui é @ThaysCristi  de novo ,vou falar um pouco sobre o Lesbianismo,espero que gostem ;)
O amor entre mulheres ou lesbianismo, existe desde sempre, apesar de este tipo de amor já ter sido aceite no tempo dos romanos, hoje ele ainda é visto com tabu(um assunto cuja discussão costuma ser evitada pela população). As mulheres que se amam são muitas vezes obrigadas a esconder os sentimentos que nutrem de uma sociedade retrógrada(uma sociedade conservador) e que as condena. O lesbianismo sobrevive na clandestinidade do social, onde quem ama é obrigado as camuflar os gestos de amor por gestos de amizade.
Em alguns países já é permitido o casamento entre pessoas do mesmo sexo, em Portugal existem associações que lutam pelos direitos dos homossexuais, não exigem direitos diferenciados apenas diferentes semelhantes. Primeiro casamento lésbico foi realizado em Brasília no dia 27 do junho de 2011 . Sílvia Gomide e Cláudia Gurgel tornaram-se as primeiras mulheres formalmente casadas do País.
O amor entre mulheres começou a ser explorado no cinema, publicidade e na televisão, mas de uma forma meramente sexual. O sexo não quer dizer nada e sim o que sentimos pela pessoa independente se for homem ou mulher o amor eh lindo quando verdadeiro , não tenha medo nem preconceito o que vale é ser feliz independente de qualquer coisa vão ser felizes isso e o que realmente importa!
                                 
O que acharam ? O que acham do lesbianismo ? Deixe seu comentário !

O que é Yuri?

Shoujo-ai

  Hello amores aqui é a@ThaysCristi , estamos atualizando o blog, e também é meu primeiro post espero que gostem :


"Yuri" é um termo generalizado para a divisão de dois gêneros de mangás.
Esses dois gêneros fazem parte dos MANGÁS onde existem ROMANCES ENTRE DUAS MULHERES.
Yuri acabou ficando mais conhecido, Esse tipo de mangá pode ser classificado de acordo com a "intensidade" da história, ou seja, se ela tem relação fraca ou pesada. Os dois gêneros são: Shoujo-ai e Yuri.

Shoujo-ai :é o mangá ou anime em que existem relações FRACAS entre duas meninas, relações muitas vezes subentendidas, que não aparecem totalmente. Por exemplo, em uma conversa entre duas amigas, uma delas diz que gosta da outra e elas ficam "vermelhinhas" e no máximo se abraçam. Isso seria Shoujo-ai.

Yuri é um pouco mais adiante do que o Shoujo-ai, mas ainda é leve. O Shoujo-ai não passa de declarações e abraços, já em alguns Yuri você vê beijos, abraços mais quentes e as vezes algumas carícias mais quentes.
 A classificação "Yuri" vai desde o anime/mangá de conteúdo "mais ou menos pesado" até o "muito muito pesado" , mas algumas pessoas preferem separar em três gêneros.


Em alguns lugares você ainda encontra Yuri pesado com o nome de Ecchi, o que esta errado, por que  Ecchi em japonês significa "pervertido". Hoje, vem sido mais conhecido o termo Orange, para se indentificar o Yuri mais pesado. O dito Orange é aquele que não esconde absolutamente nada, mostra tudo, onde você vê cenas de sexo e tudo que tem por direito entre as duas mulheres.

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More