sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Famosos Homossexuais : Chris Colfer

Oi gente aqui é a@marinabrum_  e o @IAmUnicorn_ e a gente vai começar hoje um "especial" , iremos escolher um famoso homossexual todo sábado e iremos estar postando sobre a vida dele, as conquistas, para deixar claro que ser gay ou lésbica não impede ninguém que chegar ao topo, de seguir seus objetivos e conquistar o que quer, espero que gostem ! 

Chris Colfer  - Kurt Hummel em Glee
Nascido em Fresno, na Califórnia, e criado perto de Clovis, Christopher Paul Colfer rapidamente deixa claro que ele não é o seu personagem. Apesar de tanto Cris quanto Kurt terem crescido com uma paixão por atuar ( e os dois sofrerem socialmente por causa disso), na verdade Chris gostaria que sua experiência no ensino médio tivesse sido mais parecida com a de Kurt. “Pegavam muito no meu pé na escola, e definitivamente eu estava no fim da cadeia alimentar: totalmente injustiçado socialmente, um verdadeiro gleek”, disse ele à The Advocate. “Eu nunca fui como o Kurt; agora que eu assisto ao programa, gostaria de ter sido, mas eu nunca estive na moda.Eu gostaria de ter sido como o Kurt na escola!”
Não que o Chris tenha se afastado da controvérsia na sua adolescência. No seu último ano do ensino superior, ele escreveu  o roteiro, estrelou e dirigiu uma paródia de Sweeney Todd chamada Shirley Todd, na qual todos os personagens tinham o sexo trocado. Mas ele se assumiu na escola ? “ Ah, não. As pessoas são assassinadas na minha cidade natal por causa disso.
Chris seguiu seus sonhos de fama com o apoio da família, especialmente da sua mãe, que o acompanhava em viagens de oito horas a Los Angeles para fazer testes. Depois de mais de trinta testes ao longo dos anos, Chris acabou na frente do diretor de elenco de Glee.
Chris achou que a inclusão de Kurt em Glee foi uma atitude importante e corajosa. Ele espera que tanto a história de Kurt quanto a dele ajudem jovens que sejam diferentes, quer sejam homossexuais , quer sejam artistas ou apenas não populares. “ Acho que tendo vindo de uma cidade pequena, e tendo crescido onde cresci, faz com que eu saiba, de modo particular, o tipo de jovens que estou afetando, porque eu fui um desses jovens”, ele explicou ao After Helton. “Eu acho que tanto o meu personagem quanto minha própria história geral de ter vindo direto de uma cidade pequena para essa montanha russa, esse papel em Glee, estejam ajudando os outros.”  




quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Homofobia

 @marinabrum_ aqui de novo e vou explicar o significado do termo homofobia, porque antes que estarmos fazendo nossos posts e falando um pouco mais sobre nossas experiencias seria bom que todos soubessem o que cada termo significa, espero que gostem , beijos da Brum!


Bandeira dos homossexuais
Homofobia é o termo utilizado para nomear qualquer tipo de discriminação e/ou aversão aos homossexuais. No sentido mais profundo da palavra, homofobia ainda significa medo que uma pessoa pode ter de se tornar um homossexual. Dessa forma, pode-se perceber que o termo é um neologismo. 

Existem várias ramificações que justificam a homofobia. Algumas pessoas encaram a homofobia como uma manifestação semelhante ao racismo onde as pessoas se limitam às imposições da sociedade e não são abertas ao novo e outras já vêem a homofobia como um problema do século que contradiz os ensinamentos recebidos pela sociedade, pela família e pela religião. 

Uma pessoa pode até não concordar com a homossexualidade, mas a partir do momento em que um ser humano, independente de sua cor, raça, credo ou sexo, é discriminado por ser homossexual, surge então o ato homofóbico. Atribui-se a ele a injúria, difamação, gestos e mímicas obscenas, antipatia, ironia, sarcasmo, insinuações e qualquer outra forma de criticar e banalizar o homossexual. 

Em relação ao medo de se tornar homossexual muitas pessoas tentam o suicídio, tentam mudar sua orientação sexual, possuem baixa auto-estima, comportamento compulsivo, afastamento da família, busca refúgio em substâncias como álcool, desconfiança, autocrítica entre outras. 

Há uma grande polêmica entre homossexualidade e religião, pois a Bíblia (livro utilizado pelo cristianismo) condena o ato homossexual e isso gera grande revolta nos homossexuais. Ainda existem outros grupos, independentes de religião, que não aceitam os homossexuais e por isso praticam crimes contra os mesmos, chegando até a tirar-lhes a vida.

Homossexualismo


Oi gente aqui é a @marinabrum_ e esse é meu primeiro post e vamos começar a tirar as dúvidas de muita gente, então espero que gostem e façam perguntas é por isso que estamos aqui , beijos da Brum!
O termo homossexual significa “do mesmo sexo”. Pessoas que se interessam sexualmente por indivíduos do mesmo gênero são chamadas de homoeróticas. O termo “homossexual” não é mais adequado nesse contexto, assim como se usar o termo “opção sexual’ também não. Um homoerótico não escolhe ser gay, ele apenas é orientado (pela sua própria existência), a ser o que é. O termo correto é, portanto ”orientação sexual”.
Desde que o mundo é mundo o homoerotismo existe. A diferença é que ele pode ser aceito ou não pelas diversas sociedades. É a cultura que determina sua marginalização ou não.
Na antiguidade a beleza dos corpos masculinos era valorizada entre os homens, que acabavam seduzidos uns pelos outros e se entregavam às paixões homoeróticas de corpo e alma. Assim aconteceu em Esparta, Alexandria, Roma e Atenas (entre outras). Uma peculiaridade da cultura grega da antiguidade é que o interesse entre os homens advinha da valorização da sua capacidade de pensar. Acreditava-se que as mulheres eram inferiores porque não tinham essa capacidade, portanto se destinavam apenas para a reprodução. Em algumas ilhas do pacífico, o primogênito (desde que seja homem) é educado com hábitos femininos (vestimentas, funções e posição social), e orientação sexual homoerótica. É normal e natural que se case com um homem.
Na história da medicina sabe-se que até pouco tempo homoerotismo era classificado como doença. Constava inclusive no código internacional de doenças. Hoje já não mais. A ciência sabe que o homoerotismo não é uma doença e luta para aceitação de sua normalidade.
Os homoeróticos (masculinos ou femininos), são pessoas como qualquer outra que nascem, adoecem e morrem como qualquer um. Nossa sociedade torna suas vidas mais difíceis e dolorosas pelo preconceito.
O processo de descoberta e aceitação da própria sexualidade é muito mais conturbado no gay. Sua sexualidade é primariamente proibida. A aceitação da realidade de seus sentimentos é conflituosa e muitas vezes negada por muito tempo. Todo esse conflito leva ao aparecimento de doenças psíquicas como depressão, ejaculação precoce, disfunção erétil, anejaculação, vaginismo, dispareunia, entre outros.
O importante é saber que a felicidade vem do exercício pleno dos direitos dos indivíduos. Nesses se inclui o pleno exercício da sexualidade seja ela qual for. A aceitação pessoal é o primeiro passo para se conquistar o orgulho de viver.

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More